Principais tratamentos

Medicamentos

Antes de tudo, é preciso fazer uma série de exames para determinar quais as causas da infertilidade. Muitas delas podem ser tratadas apenas com o uso de medicamentos. É o caso das infecções no aparelho reprodutor, que reduzem a quantidade e a qualidade dos espermatozoides no sêmen. O tratamento pode ser feito com o uso de antibióticos.
Quando o problema está na dificuldade ou na ausência de ejaculação, podem ser indicados medicamentos como a efedrina e a fenilpropanolamina. Se a medicação não for suficiente, pode ser necessária uma cirurgia.

Tratamento hormonal

A infertilidade pode ocorrer se o homem não produzir espermatozoides suficientes por deficiência de hormônios. Isso pode ocorrer tanto por problemas genéticos quanto por distúrbios na tireoide, uso de anabolizantes ou medicamentos, ou, ainda, como consequência de tumores na hipófise.
Nesses casos, é necessário fazer uma terapia hormonal, que geralmente dura 3 meses. São administrados medicamentos com os hormônios que regulam a produção dos espermatozoides.

Cirurgias

A varicocele é responsável por mais da metade dos casos de infertilidade masculina. Ela provoca uma dilatação dos vasos sanguíneos da região dos testículos, o que dificulta a produção e a liberação dos espermatozoides.
O tratamento indicado é uma cirurgia para a ligação dos vasos dilatados, interrompendo o fluxo sanguíneo por essas veias. O procedimento é bem simples, sem a necessidade de internação. O paciente pode retornar às atividades normais em apenas uma semana.
Outras cirurgias podem ser feitas quando os tratamentos hormonal ou medicamentoso não funcionam. Tudo vai depender do diagnóstico e de como o organismo responde ao tratamento.

Inseminação artificial

O procedimento pode ser indicado quando, depois de o médico tentar os tratamentos mencionados anteriormente, o paciente não libera espermatozoides suficientes.
O homem faz a coleta do esperma em laboratório por masturbação e esse material passa por preparação para posterior aplicação diretamente no útero.

Fertilização in vitro

Assim como na inseminação artificial, os espermatozoides também são colhidos por ejaculação. A diferença é que a fecundação é feita em laboratório, com os espermatozoides preparados colocados junto dos óvulos — os embriões formados são transferidos ao útero.
A fertilização in vitro (FIV) é recomendada para quando o homem apresenta uma alteração importante no sêmen, com diminuição na quantidade, motilidade e/ou morfologia.

ICSI

A ICSI é uma variação da FIV. Quando a técnica é indicada, ela substitui o método clássico de fertilização. Na ICSI, um espermatozoide previamente selecionado é injetado diretamente no citoplasma do óvulo, o que aumenta as chances de fecundação.
Esse tratamento é indicado quando o homem tem uma alteração grave no espermograma.

Voltar